terça-feira, 5 de abril de 2022

TROFÉU BRASIL: Dois gigantes, duas gerações!





Que segunda etapa de TROFÉU BRASIL foi essa, meus amigos? Tivemos três novos índices, e ainda garantimos dois revezamentos 4 x 200 no Mundial de Budapeste. Quer dizer, o masculino já estava. O feminino não, e agora está. Mas dois foram os grandes destaques desta jornada: Nicholas do s Santos (Unisanta) e Stephanie Balduccini (Paineiras).


O vovô garoto gigante comprou vou ser o melhor de sua geração nos 50 borboleta masculino. Aos 42 anos, ele arrancou ovação do Parque Aquático Maria Lenk ao chegar perto do seu recorde sul-americano de 22.61. Ele fez 22.73, abaixo da marca exigida de 22.90. infelizmente ele não terá a companhia de Daynara de Paula (Curitibano), que no feminino fez 26.34, acima dois centésimos do índice. Mas tem esperança nos 100.

Falando nisso, nos 100 costas masculino, decepção total. 54.03 era um índice até fácil, mas, talvez devido aos fortes ventos que sopravam cá na Barra da Tijuca, Guilherme Bassetto (Unisanta), fazendo 54.48. Também se esperava muito de Guilherme Guido (Pinheiros) e Gabriel Fantoni (Minas), mas eles chegaram juntos com 54.81. Pena mesmo. No feminino, dentro do script, vitória de Andrea Berrino (ARG/Flamengo), com 1:01.85. O título brasileiro ficou com Malu Pessanha (Pinheiros), com 1:02.13, acima demais de 1:00.59.

Deixamos o melhor para o final, os 200 livre: no feminino, Stephanie simplesmente levou a loucura este repórter, o parque aquático, os nadadores que pararam pra ver e até Wlad Veiga, que rompeu o tendão ao comemorar os 1:57.77 que a colocaram no Mundial. Mais que isso, é novo  RBC Júnior 2, superando os 1:59.22 que Gabrielle Roncatto (Flamengo) tinha feito em 2022. A própria até viu a prova e ficou tranquila quanto, mas fez falta. Para lhe fazer companhia, Giovanna Diamante (Pinheiros, 2:00.29), Aline Rodrigues (Minas, 2:00.31) e Maria Paula Heitmann (Unisanta, 2:00.97), que somadas fizeram 7:59.34, logrando a vaga feminina para Budapeste. Já Vlad voltará na quinta, mas de cadeira de rodas.

Já classificado, o masculino já tinha Fernando Scheffer (Minas). O aniversariante de amanhã e medalhista Olímpico não decepcionou e fez 1:46.18. a grande novidade foi Vinícius Assunção (SESI), que fez 1:47.22 e foi tietado pela irmã Alexia Assunção (SESI). Completam o time Breno Correia (Pinheiros) e Murilo Sartori (Americana/Louisville).

Duas de seis etapas passadas, eis como está o placar:


E por enquanto é isso aí. Amanhã, 50 peito, 200 borboleta, 1500 livre feminino e 4 x 200 livre. Que continuemos com boas novas, embora amanhã parece que vai chover...

(direto do Rio de Janeiro - informações adicionais do Best Swimming e foto de Luiza Celidônio)



Um comentário:

  1. Saudade do Felipe Monni nadando peito. Gostava muito do estilo dele.

    ResponderExcluir